Timeless

Próxima emissão: Segunda, 10 Julho

Emissões futuras de Timeless

close
Segunda, 10 Julho
Timeless 101
Episódio 101
Segunda, 10 Julho
Timeless 102
Episódio 102
Segunda, 17 Julho
Timeless 101
Episódio 101
Segunda, 17 Julho
Timeless 102
Episódio 102
Segunda, 17 Julho
Timeless 101
Episódio 101

Ep. 1 - O Desastre do Hindenburg

Sinopse

Garcia Flynn é um terrorista que rouba a sofisticada máquina do tempo, obra secreta do governo americano. A sua intenção é voltar ao passado e alterar a história dos E.U.A. Como? Interferindo no fdesastre de Hindenburg, ocurrido no dia 6 de maio de 1937, que causou a morte de 36 pessoas. Porquê? Ninguém sabe... ainda. Para impedir que Garcia Flynn consiga realizar os seus propósitos, o governo americano pede ajuda à professora Lucy Preston, ao soldado Wyatt Logan, e ao cientista Rufus Carlin. Os três devem viajar numa velha máquina do tempo, atrás de Flynn, para o impedir de mudar a história, antes que seja demasiado tarde.

Anúncio

journal_hindenburg_01

Realidade Histórica

A 6 de Maio de 1937, depois de ter sobrevoado o Atlântico, o dirigível alemão LZ 129 Hindenburgincendiou-se quando tentava aterrar em New Jersey (EUA). Morreram 36 das 133 pessoas que seguiam a bordo. O desastre do Hindenburg foi o fim de uma era - a dos grandes balões, os zeppelins, que marcaram a infância da aviação.

Os balões de ar quente serviam, desde há séculos, o sonho de conquistar os céus. Na passagem para o século XX, finalmente, foram desenvolvidos sistemas que permitiam controlar a direcção do voo. O primeiro voo de longa distância de um dirigível teve lugar em 1928, entre Frankfurt (Alemanha) e Nova Iorque. A viagem durou 112 horas. Em 1929, o célebre dirigível Graf Zeppelin conseguiu a proeza de ser o primeiro objecto voador a dar a volta ao mundo, em várias etapas.

O Hindenburg, que em 1937 fechou este ciclo, era um dos grandes orgulhos da Alemanha de Hitler; fora construído para demonstrar a capacidade tecnológica do país. Tinha 245 metros de comprimento, era sustentado no ar por 200 mil m3 de hidrogénio, e voava a uma velocidade de 110 km/h. As causas do acidente ainda são discutidas. Explosão do hidrogénio, sabotagem ou incêndio da tinta inflamável que o cobria foram algumas das razões apontadas ao longo dos anos.

Galeria do episódio