Vencedores Passatempo Quantico - Segredo

Ana Rita Saraiva - "Dia 31 de Outubro de 2005, mais um Halloween que me passava ao lado pois nunca liguei a tal festejo... Parecia ser um dia normal, fui para a escola de manhã, almocei, mas depois disso deu-se-me um grande apagão de memória e quando dei por mim estava numa casa, uma casa que não era a minha. Tinha uma ferramenta na mão e a minha roupa estava ensanguentada... Fiquei preocupada pois pensei que esse sangue vinha de mim. Quando dei conta que não era meu olhei para trás e vejo uma mulher, um homem e duas crianças que não fazia a mínima ideia quem eram, mortos. Foi a pior visão de sempre. Liguei imediatamente para o 112, e fiquei à espera que chegassem. Deu-se que acabei por ser acusada pelo homicidio daquela família pois após um interrogatório perceberam que eu não dizia coisa com coisa pois não me lembrava de nada desde o almoço. Claramente que não acreditavam em mim, eu própria não acreditava naquilo que dizia. Fui a tribunal e após uma análise ao meu psicológico mandaram-me para um manicómio, onde fiquei instalada com criminosos com problemas mentais, assim como afirmavam eu ser... Após 6 anos do acontecimento, fui libertada devido a bom comportamento. Mas jurei vingança a quem me fez passar esta injustiça, pois tenho consciência que não o fiz, e se o fiz não foi por minha vontade. Mudei-me para os Estados Unidos, alterei a minha identidade, nome, nacionalidade, idade, tudo... Logo ninguém pode descobrir o que aconteceu no meu passado. Candidatei-me a um lugar no FBI, com o objetivo de conseguir descobrir quem me fez isto..."

Ana Patrícia Montalvão - "Sou portadora de uma habilidade mista designada telepatia e precognição equatorial (transitória anual). Esta manifesta-se durante um curto período de tempo durante o ano, tendo o seu início no equinócio da Primavera e o seu fim no Solstício do Verão. Em Janeiro de 2010 fui recrutada pela CIA para encontrar Osama bin Mohammed bin Awad bin Laden. Juntamente com uma pequena equipa de investigação, que me deu a conhecer todas as informações acerca do mesmo (porque existiam quase sete mil milhões de pessoas no planeta), consegui chegar ao seu paradeiro no ano seguinte. Foi capturado dia 30 de Abril; só dia 2 de Maio é que houve a confirmação a 100%, com os testes de ADN repetidos até à exaustão. O resto é "história"."

Beatriz Senra - "Nasci na Alemanha e mudei-me para os eua porque o meu pai é cidadão americano. Tenho dupla cidadania. Estudei direito na yale university mas nunca me apaixonei pela vertente jurídica verdadeiramente. O meu sonho era defender o meu país contra o inimigo doméstico e estrangeiro. Sou poliglota e domino a 100% o árabe. Casamento falhado com um músico e núcleo familiar complicado. A minha mãe desapareceu no 11 de setembro."

Ana Rita Santos - "Fui morar para os E.U.A com apenas 7 anos. 3 anos depois os meus pais e o meu irmão mais velho morreram no atentado do 11 de setembro. Pelo menos assim pensava eu. Fiquei orfã de pais aos 10 anos e desde essa altura voltei para Portugal. Fui morar com a minha avó inicialmente mas passados 2 anos morreu atropelada. Pelo menos assim pensava eu. Fui depois morar com os meus padrinhos aos 12 anos mas também eles morreram num acidente fatídico quando estavam a fazer uma viagem num cruzeiro. Pelo menos assim pensava eu. Desde então tenho morado em casas de acolhimento e tornei-me emancipada muito cedo. Aprendi aulas de defesa pessoal, esgrima e pratico tiro ao alvo como ninguém. Hoje com 24 anos sou a agente mais nova do FBI. Decidi inscrever-me assim que fiz 20 anos. Descobri no dia do meu aniversário que a morte dos meus pais nada teve a ver com o 11 de setembro e que a morte dos meus tios e da minha avó nada teve de acidental. Recebi uma carta dos meus pais falecidos datada do dia em que morreram, a dizer que não morreram em vão e que tudo o que fizeram foi para me proteger de quem me queria mal. Desde então entrei no FBI para tentar descobrir quem me queria matar, o porquê de toda a minha familia ter morrido e o que me tornava assim tão especial para me quererem ver morta. Sou agente há 4 anos e só há pouco tempo consegui reunir todas as informações necessárias que me permitiram estabelecer uma ligação entre todos os acontecimentos sucedidos. Uma informação altamente previlegiada que dizimou a minha família, informação essa que pode terminar com o mundo tal como o conhecemos até hoje. Não posso confiar nos meus colegas nem no próprio FBI porque são eles mesmos que me querem matar com medo que eu divulgue essa informação, foi por isso que me aceitaram no FBI tão cedo. Agora tenho de fugir, fugir e resolver esta situação sozinha antes que caia nas mãos erradas.#QuanticoAXN"

Rui M. Sousa - "Não digam a ninguém do FBI, mas eu vim da América para Portugal com outra identidade para assim poder dar continuidade à sua divisão de "Ficheiros Secretos", extinta pelas chefias, e que será retomada no ano que vem por dois agentes cujo nome não devo mencionar. Espero estar seguro."

Anúncio