Outlander | A revolta histórica que inspirou a segunda temporada

outlander2014_s03_eps309_photography-episodic_18

"Outlander" é uma série fantástica povoada por elementos associados à ficção histórica que é aqui combinada com viagens no tempo. A série está de momento a ser emitida na AXN White, na sua segunda temporada. Pode ser vista todas as segundas-feiras pelas 21h25!

"Outlander" é a adaptação para televisão da saga literária de sucesso escrita pela norte-americana Diana Gabaldon. A narrativa acompanha Claire Randall, na série interpretada pela irlandesa Caitriona Balfe, uma enfermeira que vive em 1945. Um dia, numa viagem com o seu marido, Claire passa entre as pedras por um portal mágico e é transportada para a Escócia de 1743. Neste tempo distinto a sua vida está constantemente em risco e para se conseguir proteger de inúmeras ameaças acaba por ser forçada a casar-se com o guerreiro Jaime Fraser (interpretado pelo escocês Sam Heughhan). Os dois apaixonam-se à medida que Claire luta por racionalizar duas vidas distintas e inconciliáveis.

A história da série "Outlander" (tal como na sua inspiração literária) vai além da intensa relação amorosa entre Jaime e Claire, acompanhada ao longo de décadas e séculos, e retrata as lutas pela liberdade da Escócia no Século XVIII. Falamos mais especificamente da luta contra o domínio britânico e os seus "casacos vermelhos".

A BATALHA DE CULLODEN E O ESTILO DE VIDA DOS ESCOCESES 

Os eventos da segunda temporada baseiam-se essencialmente no segundo livro da saga literária, "Dragonfly in Amber" (1992), editado em Portugal pela "Casa das Letras" como "A Libélula Presa no Âmbar".

A acção desta temporada aclamada pela crítica inicia-se com os protagonistas Claire e Jaime na corte parisiense à medida que esta dupla procura evitar o massacre dos rebeldes jacobitas (os escoceses) à mercê do exército britânico. Sabendo Claire como o conflito iria terminar para o lado perdedor, com um banho de sangue, mas sem poder partilhar esta informação com ninguém para além de Jamie, os dois procuram mudar a todo o custo uma história que ameaça repetir-se.

A temporada de 13 episódios, presentemente em exibição no AXN White, foca-se bastante nos palcos políticos e estratégias em Paris que levam até à batalha. Não obstante a sua luta, parece que a batalha se vai mesmo realizar, em 1746, tal como a história ditava.

Historicamente o povo escocês tem sido subordinado há séculos pelo governo inglês e o século XVIII teve particular relevância no que diz respeito a este domínio. A Batalha de Culloden, o momento alto para onde tudo culmina entre o final da segunda temporada e o início da terceira temporada de "Outlander", aconteceu a 16 de abril de 1746, e opôs os rebeldes jacobitas ao governo inglês.

A batalha aconteceu no pântano de Culloden, um local plano onde um exército britânico mais numeroso e armado derrotou a revolta escocesa em muito pouco tempo e quase sem mortes do seu lado. Em menos de uma hora mais de 1,500 homens morreram, 1000 do lado Jacobita, marcando a última batatlha em solo britânico. Após a batalha muitos prisioneiros foram julgados por traição à Coroa.

Culloden foi menos uma batalha e mais um massacre e permante condenação de uma forma de viver. Esta trágica batalha é vista como um cruel desastre nacional e levou à destruição da velha ordem social dos Highlanders. Existe em Culloden um memorial dedicado aos mortos em batalha e esta história, vista como trauma para o povo escocês, é também tema da poesia, nomeadamente no poema "O Lovelylass de Inverness" de Robert Burns. Nesta batalha viram-se extintas diversas famílias de Higlanders e o seu sistema de clãs nunca mais foi o mesmo, banido pelo invasor inglês que de acordo com o retrato pintado em "Outlander" via os escoceses como um povo inferior, pouco instruído e mais animalesco e primitivo.

PORQUE LUTAVAM OS "HIGHLANDERS" EM CULLODEN? 

Tal como retratado extensivamente em "Outlander", que procura retratar a História da Escócia, os orgulhosos guerreiros da região das Highlands  lutavam pela chegada ao trono de um jovem rei prometido, o Princípe Suart. A causa jacobita foi aniquilada com o massacre de Culloden, com a constitução de clãs e o uso do típico Tartan proibidos. Charles Stuart, pretendente ao trono de Inglaterra, foi aqui derrotado. Os jacobitas queriam este Rei católico , intitulado como "young pretender" , no trono, sob promessas de protecção do seu estilo de vida.

Em Latim Jacobita simplesmente signfica "apoiante de James", referente ao Rei James VII da Escócia, o último Rei Católico dos territórios de Inglaterra, Escócia e Irlanda. Depois de ser invadido pelo seu genro Protestante em 1688 o Rei exilou-se em França e o seu filho tornou-se posteriormente candidato ao trono. As revoltas jacobitas, frequentemente romantizadas perante o olhar analítico da história, são marcadas pela perda de vidas. Contudo, personagens históricas como o "Bonnie Prince Charlie" são imortalizadas, por exemplo em "Outlander" mas também em outras obras de ficção sobre a bela e trágica história das Highlands, como por exemplo no filme "Braveheart". O Bonnie Prince era evidentemente o filho do Rei James, que acabou por fugir e exilar-se depois da tragédia de Culloden.

Ver "Outlander" e visitar as suas localizações de filmagens, bem como o memorial da batalha, é a forma perfeita de descobrir mais sobre a história das Highlands e da bela região de Inverness. Por agora, a segunda temporada de "Outlander" acaba em breve no AXN White. Não percam!

Posts recentes

Anúncio